Sobre o debate

O uso de castigos físicos para educar crianças parece estar com os dias contados. Segundo a Academia Americana de Pediatria, a prática tem pouca eficácia e pode ser prejudicial aos pequenos. O grupo, que representa mais de 60 mil médicos nos EUA, tem orientado pais a não baterem em seus filhos e também evitarem punições baseadas em ameaças e humilhações. Discutiremos esse posicionamento, que tem ganhado cada vez mais adesão de educadores e psicólogos. Que tipo de consequência os castigos físicos trazem às crianças? Quais são as melhores formas de corrigir o mau comportamento?